quinta-feira, 14 de junho de 2018

FOI SEPULTADO HOJE A TARDE O CORPO DO VIGILANTE QUE FOI ENCONTRADO MORTO NO LOCAL DE TRABALHO



Foi sepultado na tarde de hoje quinta feira (14) no Cemitério Jardim Eterno na cidade Sobral, o corpo do vigilante e agente de proteção dos direitos da criança e do adolescente da Comarca de Sobral, o jovem Ruan Ferreira Alves 23 anos, solteiro, o corpo do mesmo tinha sido encontrado dentro de um banheiro do prédio onde o vigilante trabalhava na Rua Balbino Parque Silvana II. O fato aconteceu por volta das 18 horas desta quarta-feira (13).

A vítima foi encontrada dentro de um banheiro sem vida no referido prédio de onde prestava o serviço de segurança, Ruan residia na Rua Inca, bairro Dom José, e convivia maritalmente com a jovem de nome Thaisa Muniz, deixando órfão um criança de 2 anos de nome José.

A Perícia esteve no local da ocorrência, realizou os trabalhos periciais e encaminhou o corpo para ser necropsiado no IML (Instituto Medico Legal) da Princesa do Norte.

A Polícia Civil abriu um inquérito policial para apurar os fatos, já que segundo á autoridade judiciaria só com o resultado dos exames do IML com a causa morte poderá fazer e encaminhar o inquérito ao poder judiciário.

PDT oficializará candidatura presidencial de Ciro Gomes no dia 20 de julho

A convenção nacional do PDT que vai referendar Ciro Gomes como candidato à Presidência da República já tem dia, hora e local para acontecer: 20 de julho, às 11 horas, em Brasília. A decisão foi aprovada nesta quinta-feira, durante reunião da Executiva Nacional do PDT em Florianópolis (SC). O encontro ocorreu na capital de Santa Catarina como homenagem ao secretário-geral do partido, Manoel Dias, pré-candidato a deputado federal.
A reunião contou com a presença de diversas lideranças do PDT, incluindo o líder da bancada na Câmara, André Figueiredo (CE). O presidente nacional do partido, Carlos Lupi, aproveitou a reunião para traçar um panorama do partido em todos os estados, fazendo uma análise dos cenários.
“Estamos com a pré-candidatura de Ciro consolidada no Brasil. E isso vai se refletir na nossa bancada, que deverá ser eleita entre 40 e 45 deputados federais”, afirmou Lupi.
Lupi também exaltou o trabalho que Ciro vem fazendo país afora, levando a bandeira do PDT e apresentando as soluções para recuperar a auto estima do povo brasileiro. “Ciro tem nos honrado muito, levando o discurso do Trabalhismo adiante. Ele tem coragem para enfrentar o sistema financeiro, colocar o dedo na ferida da classe dominante, espalhando esperança de dias melhores ao povo brasileiro”, afirmou Lupi.
(Foto – Divulgação)

“Relincha Brasil!”, comenta promotor de Justiça do Ceará sobre decisão do STF



Corte declarou inconstitucional a prática de conduções coercitivas.

Promotor de Justiça do Ceará Alan Ferraz usou seu perfil no Twitter, nesta quinta-feira (14), para comentar a matéria do O Antagonista sobre a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que declarou inconstitucional as conduções coercitivas, quando o alvo do mandato é levado por agentes para prestar depoimento.

“Vergonha!Vergonha!Vergonha! Relincha Brasil!”, twitou o promotor.

Crédito: Marcelo Camargo/Agência Brasil. Brasil. Brasília - DF.

Fachin quer ouvir PGR, Cid Gomes e Antônio Balhmann sobre suspeita de pagamentos da J&F.

Resultado de imagem para ministro luiz edson fachin



Os dois foram citados na delação de Wesley Batista. Ministro quer que ex-governador do Ceará e deputado federal se manifestem sobre envio de delação que os cita à primeira instância da Justiça.

O ministro Luiz Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, determinou que a Procuradoria Geral da República, o deputado federal Antônio Balhmann (PDT-CE) e o ex-governador do Ceará Cid Gomes se manifestem sobre a remessa da delação premiada da J&F que cita os dois para a primeira instância da Justiça.
                                                                                                                     
A decisão é de terça-feira (12) e foi enviada à Procuradoria nesta quarta (13).

Conforme Wesley Batista, um dos donos do grupo, Cid Gomes teria recebido, em 2010, R$ 5 milhões como contribuição para reeleição e, como contrapartida, teria liberado créditos tributários de ICMS.

Em 2014, conforme a delação, Cid Gomes teria pedido R$ 20 milhões, mas, diante da negativa, o deputado Balhmann teria intercedido, afirmando que o estado honraria pagamentos no valor de R$ 110 milhões.

A pedido da Procuradoria Geral da República, Fachin mandou, no mês passado, a delação para a Justiça Federal do Ceará analisar os fatos de 2010. Mas o juiz consultou novamente o ministro porque um dos fatos ocorreu em 2014 e poderia ser continuidade do primeiro e, na ocasião, Balhmann já era deputado federal.

Para Fachin, apesar de a contrapartida visada pela J&F consistir em pagamento de débitos do governo, "infere-se possível relevância da conduta atribuída ao parlamentar na dinâmica dos fatos delituosos, mormente quando os pagamentos somente teriam sido levados a efeito após a intercessão do congressista".

Por isso, ele pediu que a Procuradoria Geral da República e os dois citados nas delações se manifestem sobre se o caso deve correr no Supremo ou na primeira instância da Justiça Federal.

Fonte G1

sexta-feira, 8 de junho de 2018

Qual o futuro de Ciro? E qual o futuro do PT?


Resultado de imagem para ciro gomes

O pedetista Ciro Gomes e o PT de Lula, já parecem ter traçado seus destinos eleitorais neste 2018 e eles não se entrelaçam pelo menos até 7 de outubro, quando acontece o primeiro turno. Há necessidade e uma delicada administração do momento, porque a ansiedade percebida em muitos representantes de ambos os campos partidários pode inviabilizar o reencontro futuro de quem já foi aliado um dia, como resultado natural daquelas conversas que marcam a passagem entre uma etapa e outra do processo eleitoral. Percebe-se uma beligerância meio injustificável dos dois lados.

Ciro, sabemos nós, tem suficiente “talento” para complicar estratégias com ações e palavras atabalhoadas. Errou, por exemplo, quando cobrado por ter sido o único dos pré-candidatos alinhados à esquerda que não esteve com Lula durante a vigília pré-prisão no Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo, em abril. Na época, lembremos, saiu-se com a história de que não se sentia obrigado e tascou um desnecessário “não sou puxadinho do PT”.

Não é, de fato. Muito menos o PT precisa se sentir obrigado a definir seus passos considerando o que parece ser o melhor para Ciro. Este, na linha da esperteza, apressa os fatos para criar uma polarização conveniente com Jair Bolsonaro, exatamente para ocupar desde já um espaço que se poderá abrir com a provável ausência de Lula, a ser determinada em algum momento adiante pelas instâncias judiciais.

O político cearense passou a ser muito econômico com declarações de apoio real a Lula, pelo menos desde quando a situação agudizou-se e a ameaça de prisão contra ele, por exemplo, virou realidade.

Antes até se tinha um Ciro, ao melhor estilo Ciro, falando em radicalizar na estratégia em favor do líder petista levando-o para proteção de uma embaixada, “onde poderia se defender de forma isenta e plena” de uma eventual decisão judicial. Agora, prefere acompanhar a uma distância cômoda o sofrimento do amigo, recolhido às dependências da Polícia Federal em Curitiba.

De volta a Bolsonaro, o que chama atenção nos recentes ataques de Ciro, quando participava de uma sabatina em Brasília na última quarta-feira, é que eles vieram de graça, não havia pergunta envolvendo o nome do deputado para dar gancho à resposta na qual o pedetista compara o provável adversário a um “câncer que precisa ser extirpado” ou o define como “boçal despreparado”, Portanto, era roteiro previamente preparado por ele e seus pensadores de campanha, demonstrando que por alguma razão oportunista se entende que o espaço precisa ser ocupado imediatamente.

As pesquisas de até agora mostram que Lula permanece sendo, da extensa lista de pré-candidatos, o único que consegue disputar o voto do eleitor com Jair Bolsonaro, nome que amedronta por sua ideias esdrúxulas, quando não simplesmente erradas, mas também por um vazio de conteúdo assustador para um País que vive crise de proporções gigantescas. O petista, inclusive, o derrotaria até com certa folga, o que recomenda ainda mais cuidado no gerenciamento do momento atual. Mais à frente, caso sua candidatura tenha mesmo que ser descartada, o lado para onde pender pode ganhar peso decisivo. Ciro, com os silêncios errados e os barulhos inconvenientes, pode desperdiçar oportunidade que o destino até parece disposto a lhe oferecer mais uma vez.

Editor de Política do O POVO.

MPCE e Polícia Civil prendem vereadores em Capistrano


 

A Promotoria de Justiça da Comarca de Capistrano, o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO), o Núcleo de Investigação Criminal (NUINC), e a Polícia Civil prenderam, nesta manhã de sexta-feira (8), quatro vereadores da cidade de Capistrano, dentro da Operação Day Off, de combate a crimes contra a administração pública. Na ação, segundo a assessoria de imprensa do MPCE, foram cumpridos 12 mandados de busca e apreensão e seis mandados de prisão preventiva nas cidades de Capistrano e Maracanaú. Os mandados de prisão foram concedidos pelo juiz de Direito da Comarca de Capistrano e alcançou também um servidor da Câmara Municipal de Capistrano e uma funcionária da União dos Vereadores do Ceará (UVC).

Os mandados são referentes a procedimento investigatório criminal instaurado na Promotoria de Justiça da Comarca de Capistrano, com auxílio do GAECO, e que apura a prática de crimes de peculato, falsidade ideológica e documental, com características de organização criminosa, na concessão de diárias a agentes políticos e servidores da Câmara Municipal de Capistrano.


Fonte Eliomar Lima

STF libera ação penal contra Gleisi Hoffmann para julgamento


 O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Celso de Mello, liberou hoje (8) para julgamento seu voto na ação penal sobre a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) e seu marido, o ex-ministro do Planejamento Paulo Bernardo. No processo, ambos são réus pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, na Operação Lava Jato.

Com a liberação, caberá ao presidente da Segunda Turma do STF, Ricardo Lewandowski, marcar a data do julgamento. Celso de Mello é o revisor da ação penal e, de acordo com regimento interno da Corte, cabe a ele liberar o caso para julgamento após revisar o voto do relator, Edson Fachin.

Brasília-A Senadora Gleisi Hoffmann durante sessão da Comissão Processante do Impeachment para oitiva da junta pericial composta por três servidores do Senado: Fernando Álvaro Leão Rincon, Diego Prandino Alves e João Henrique Pederiva
A senadora Gleisi Hoffmann alega que todos os recursos recebidos para a campanha foram legais –Marcelo Camargo/Agência Brasil
Em novembro do ano passado, ao apresentar as alegações finais no caso, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, pediu a condenação da senadora e de Paulo Bernardo. No processo, ambos são acusados de receber R$ 1 milhão para a campanha da senadora, em 2010.

Na manifestação, última fase do processo antes da sentença, Dodge pede que Gleisi e Paulo Bernardo também sejam condenados ao pagamento de R$ 4 milhões de indenização aos cofres públicos, valor quatro vezes maior do que o montante que teria sido desviado da Petrobras.

De acordo com depoimentos de delatores na Operação Lava Jato, o valor da suposta propina paga a Gleisi e Paulo Bernardo é oriundo de recursos desviados de contratos da Petrobras. O casal foi citado nas delações do doleiro Alberto Youssef.

Defesa

Em documento encaminhado ao Supremo durante a fase de defesa, os advogados do casal afirmaram que as acusações são “meras conjecturas feitas às pressas” em função de acordos de delação premiada.

“A requerida [senadora] jamais praticou qualquer ato que pudesse ser caracterizado como ato ilícito, especialmente no bojo do pleito eleitoral ao Senado Federal no ano de 2010, na medida em que todas as suas contas de campanha foram declaradas e integralmente aprovadas pela Justiça Eleitoral”, afirmou a defesa, na ocasião.

(Agência Brasil)